A atleta Valesca Rocha retorna do Mundial de Levantamento de Peso com novo recorde

“Foi preciso passar alguns dias à base de saladas para conseguir a premiação”

A atleta de Powerlifting (Levantamento de Peso) Valesca Rocha, acaba de retornar dos Estados Unidos trazendo para a Capital mais medalhas e troféus. Durante 2016, foi preciso foco e um bom planejamento para que ela conseguisse excelente colocação nos campeonatos brasileiro e mundial de Powerlifting. 

A preparação da atleta para os campeonatos iniciou no final de 2015 e finalizou em novembro de 2016, com treinos de duração de duas horas, de segunda a sexta-feira, marcando sua participação no mundial e batendo seu próprio recorde.

Além do treinador, Valesca tem a assessoria de diversos profissionais para conseguir excelente performance nos campeonatos. Ela segue acompanhada por nutricionista e realiza oito refeições diárias, ricas em carboidratos e proteínas, de duas em duas horas. O acompanhamento de um nutrólogo, também é algo que não fica de fora da preparação da atleta. O profissional a auxilia verificando se há necessidade de complementação com vitaminas e aminoácidos. Valesca é assessorada por um fisioterapeuta que a ajuda a cuidar da articulação, ossos e tendões, se prevenindo de lesões, pois segundo ela, em véspera de competições os treinos são intensos, com cargas altas e aumenta o stress.

Valesca conta que durante o ano sua rotina tem sido extensa. Ela trabalha oito horas diárias, com um intervalo que utiliza para almoçar e treinar. Seu meio de transporte é a bicicleta e diariamente ela se desloca de Jardim Camburi para Jardim da Penha, para chegar até seu local de trabalho.
“Tenho que me esforçar bastante para conseguir trabalhar e treinar”, comenta.

Participar do mundial, trouxe à Valesca a certeza de ter muitos amigos e o carinho de grande número de fãs que a apoiaram na conquista de fundos para pagar suas despesas de viagem.

“O ano de 2016 trouxe muitas dificuldades para todos. No entanto, fiquei impressionada com a sensibilidade de meus fãs que perceberam a minha dificuldade de viajar para o mundial e fizeram rifas para conseguir investimento para minha viagem. Tive apoio de um restaurante que ofereceu alimentação ‘fit’ para eu rifar, um amigo fez uma campanha na internet para conseguir doação em dinheiro. Outro amigo me ofereceu um kit de sua empresa automotiva para sortear. Muitas pessoas se envolveram nesse processo e meus patrocinadores também me ajudaram a conseguir realizar meu sonho”, diz.

Nas vésperas de suas viagens para participar de campeonatos fora do Brasil, habitualmente, Valesca aumenta um quilo acima de seu peso corporal, pois costuma emagrecer por conta da viagem. Porém, na competição de 2016 foi pega de surpresa: seu peso não baixava. Então, seu técnico a orientou a comer somente salada até o dia da pesagem, para baixar o peso.

“Ver as pessoas podendo comer à vontade e eu ter que me alimentar só de salada, foi um verdadeiro sacrifício. No último dia nos Estados Unidos, eu acreditava que o recorde não viria. Creio muito em Deus, por isso pedi orientação a Ele. Uma atleta que dividia o quarto comigo, me enviou uma mensagem no whatsapp com uma música bastante marcante. Dizia o seguinte: ‘coloque as mãos para o céu, porque hoje Deus fará o milagre’. Fiquei bastante emocionada. Quando fui verificar meu peso novamente, estava satisfatório. Eu pesava menos”. conta.

Valesca foi campeã pela quinta vez e conseguiu bater dois recordes no mesmo dia.

O ano de 2017 marcará como o último para Valesca na categoria até 46 anos, por isso, seu desejo é bater uma marca ainda maior. Em 2018 ela passará para a categoria de 47 a 50 anos, e segundo a atleta, está determinada a iniciar a nova categoria batendo o recorde.

“O que me faz ser uma campeã é minha determinação. Sou guerreira, tenho garra e busco escutar somente conselhos positivos, faço o que gosto. Estou feliz, independente de qualquer coisa, tenho foco e vou em frente. O começo é sempre muito difícil, dá vontade de desistir. No entanto, vencendo a fase inicial, conseguimos brilhar mais na frente. Quando está muito difícil é porque está perto de melhorar. Com determinação conseguimos vencer”, encerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X