Baleia encalhada: Oceanógrafo adverte

Baleia Jubarte é encontrada morta em Jardim Camburi no final da praia

Moradora avista baleia de seu apartamento e divulga foto em internet. Oceanógrafo adverte sobre os diversos cuidados que se deve ter ao se aproximar do animal.

Na madrugada do dia 05 de outubro, foi avistada uma baleia do tipo Jubarte na Praia de Camburi por moradores da região. O animal que já está em decomposição, pode causar alguns riscos à população.

A empresária, Gabriella Pandolfi Neves, conta que ao abrir a janela de seu quarto pela manhã, avistou certo tumulto na Praia de Camburi e logo percebeu que havia uma baleia, aparentemente morta, fotografou o animal e divulgou na internet.

“Haviam pessoas reunidas e como era muito cedo me chamou a atenção, logo percebi que era uma baleia. Eu me assustei com o que vi e ao mesmo tempo me entristeci. Não acionei ninguém porque vi que já haviam pessoas e um salva vidas próximos ao animal. Avistei a baleia por volta de 7h30min e acredito que ela veio para a costa na madrugada de hoje”, conta Gabriella”.

Segundo o Gerente do Monitoramento de Praias do Espírito Santo, o oceanógrafo Bruno Berger, o animal é uma baleia Jubarte macho. “Não sabemos exatamente o tamanho do animal nem se é um adulto ou um juvenil, porque está, ainda, dentro da água. Não há como estimar o peso, porque a estimativa está relacionada ao cumprimento do animal, mas tranquilamente, sabemos que pesa mais de cinco toneladas. Boa parte do corpo está debaixo da água”.  

O oceanógrafo adverte sobre alguns cuidados

Bruno informa que o animal Já está se decompondo, soltando pedaços e orienta  a população a não entrar na água, não tocar a baleia e não se aproximar do animal.

Riscos:

– Contaminação: o animal está apodrecendo, tem matéria orgânica na água em estado de putrefação, bactérias se proliferando no local.

– Risco de vida: Tubarões na água – o tubarão é um predador que é atraído pela gordura de baleia podre. Vindos de longas distancias para comer carcaça (Veja exemplo encontrado do youtube: http://bit.ly/2b1qJuL).

Outro risco é ocorrer de a carcaça da baleia tombar, por conta do balanço da onda, e prender uma pessoa;

– Risco de lesão: o agito das as ondas do mar podem mover a nadadeira da baleia, que é comprida, e atingir a perna de alguém.

Providências

O Gerente do Monitoramento de Praias do Espírito Santo informa que, como a maré está subindo, será necessário aguardar o melhor horário para serem tomadas as providências de remoção da baleia e de limpeza do local. “Devemos esperar a maré descer, para juntamente com a prefeitura verificar os métodos que irão auxiliar na resolução do problema e solicitar a equipe de profissionais especializados para realizar a limpeza para retirar toda a carcaça, o mais rápido possível, sem causar maiores danos na Praia de Camburi”. 
 
“A baleia está se partindo, existem pedaços de barbatanas, ela tem “dentes” que não são como os nossos, funcionam como um filtro, por onde passa a água do mar para reter e se alimentar do krill – espécie de camarão do Polo Sul, da Antártida, onde moram as jubartes. E, até o final do dia, terá soltado mais pedaços pela praia”. (Bruno Berger, Oceanógrafo).

 

Retornar a pagina inicial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X