Inteligência Artificial NÃO substituirá advogados na era pós digital

Você tem medo da Inteligência Artificial (IA) nesta era pós digital?

Você tem medo dos olhares críticos e desconfiados dos seus clientes, parceiros da advocacia e amigos, quando eles ouvirem que a IA deve ser a ferramenta de trabalho dos advogados e você não sabe como enfrentar essa realidade?

Você tem medo de passar fome, de não ter como pagar suas contas e saber que seus familiares não podem contar com você?

A tecnologia está transformando a advocacia, mas não tornará obsoleta a análise personalizada e especializada dos advogados.

Escritórios e departamentos jurídicos que adotarem a IA podem vir a ter vantagens competitivas neste mercado tão disputado com mais 2 milhões de advogados, porque a IA permite àqueles que a adotam prestar a seus clientes melhores serviços jurídicos, com eficácia e menos desembolso financeiro. Porém, ouso afirmar  que

IA não será quem irá substituir VOCÊ ADVOGADO, mas os que a usarem com INTELIGÊNCIA EMOCIONAL [IE] substituirão os que não o fazem.

Historicamente, as revoluções, transformações  acontecem a partir da adoção de novos COMPORTAMENTOS e ATITUDES e não quando se passa a usar uma nova ferramenta, nem mesmo as digitais.

Você, advogado empresarial/corporativo, está sendo “convocado” a ter comportamentos diferentes dos utilizados até então.

É isso que a revolução tecnológica está trazendo de informação subliminar.

A tecnologia pela tecnologia não movimenta nada, ninguém e menos ainda o MUNDO.

INOVAÇÃO implica AÇÃO NOVA. Comportamento diferente.

Você, advogado está inserido no movimento que está mudando a direção desta era em tudo o que fazemos, mas ainda com paradigmas e apontamentos que está  segurando você no passado, parafraseando Walter Longo, especialista em comunicação, inovação.

Nesses momentos, sobretudo olhando as possibilidades tecnológicas, em que o tempo é o maior ativo, é salutar reconhecer os benefícios que a INTELIGÊNCIA EMOCIONAL (auto observação/auto conhecimento; empatia; a arte de se relacionar; auto motivação; saber lidar com emoções) oferece para você advogado.

Pois não há como parar, destruir para depois construir. Não há tempo para isso. Somos nós HUMANOS, advogados, os condutores do timão da vida.

Logo, não é a IA que ameaça e sim comportamentos não adaptados à esta era pós digital. Assim, é imprescindível se abrir para conhecer a IE. Ela é a ferramenta poderosa para apoiar você na caótica e desorganizada aparição da IA nos meios jurídicos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X