Vacinação contra gripe diminui risco de hospitalização de pacientes com DPOC


Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia alerta para perigos do vírus Influenza na piora dos quadros respiratórios

A gripe está entre as maiores causas de morbidade e mortalidade em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), sendo responsável por mais de 35% de todas as pioras agudas da doença[1]. A vacinação contra o vírus influenza é uma das maneiras de prevenir agravamentos por gripe nesse grupo¹.

Segundo Frederico Leon Arrabal Fernandes, coordenador da Comissão de DPOC da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, “a vacinação reduz a incidência, as complicações e formas graves da doença e é recomendada a todo portador de doença respiratória crônica”.A imunização contra influenza em pacientes com DPOC pode diminuir até em 52% os casos de internação e 70% da mortalidade[2].

O Ministério da Saúde reconhece a gravidade da gripe em pacientes com DPOC e inclui esse grupo como um dos prioritários no calendário de vacinação contra influenza anualmente[3].

A gripe e a DPOC

Frederico explica que quando um portador de DPOC é infectado pelo vírus Influenza, o epitélio, camada de células que protege as vias respiratórias, inflama-se e pode descamar, diminuindo as defesas do pulmão. Sem conseguir se defender adequadamente, o doente crônico pode desenvolver uma pneumonia.

O médico complementa que, além disso, a gripe pode aumentar também a produção de muco, o que faz a respiração se tornar mais difícil e, em alguns casos, pode evoluir para insuficiência respiratória, fazendo com que o paciente precise de suplementação de oxigênio ou até suporte de ventilação mecânica.

“O principal é saber quando o quadro respiratório é mais grave e precisa de atenção médica. Dificuldade para respirar, febre alta persistente e queda no estado geral são sinais de alerta que justificam a procura de atendimento médico”, alerta Frederico.

A Organização Mundial da Saúde define a DPOC como um “guarda-chuva” de doenças pulmonares crônicas que causam limitações no fluxo de ar pulmonar. A doença afeta mais de 64 milhões de pessoas no mundo e a previsão é que seja a terceira causa de morte mundial até 20304.

Os sintomas mais comuns incluem falta de ar, produção excessiva de expectoração e tosse crônica. A principal causa para a DPOC é o tabagismo, porém a poluição, tanto de ambientes de trabalho como indústrias, como a do ar livre pode levar à doença. Além disso, pessoas que tiveram frequentes infecções respiratórias na infância têm grande chance de desenvolver a doença.  A maioria dos casos, no entanto, pode ser prevenida[4]

[1] Howells CHL, Tyler LE. Prophylatic use of influenza vaccine in patients with chronic bronchitis. Lancet 1961;30:1428-32.

[2] Nichol KL, Baken L, Nelson A. Relation between influenza vaccination and outpatients visits, hospitalization, and mortality in elderly persons with chronic lung disease. Ann Intern Med 1999;130:397-403.

[3] http://www.blog.saude.gov.br/index.php/entenda-o-sus/50930-vacinacao-contra-a-gripe-entenda-se-voce-faz-parte-do-grupo-prioritario

[4] Organização Mundial da Saúde. Chronic obstructive pulmonary disease (COPD). Disponível em: http://www.who.int/respiratory/copd/en/ (acessado em 31/01/2017).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X